enfrdeites
Notícias

Notícias (309)

Nos dias 28 e 29 de Maio de 2019, acontece no Auditório do Instituto Biomédico da UUF, em Niterói, o 1° Seminário do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Sujeitos, Sociedade e Estado.

Criado em maio de 2018, o NEPSSE é liderado pelas professoras Klarissa Platero e Izabel Nuñez e conta com jovens pesquisadores do curso de bacharelado em Segurança Pública e Social e do mestrado em Justiça e Segurança, ambos do Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos, da Universidade Federal Fluminense.

O Seminário "Mobilidades, enfrentamentos e cortes: a interlocução política além das fronteiras da Universidade" vem marcar este primeiro ano do NEPSSE. Nesses dois dias, vamos dialogar sobre aspectos muito presentes em nossas reuniões quinzenais: mobilidade urbana e direito à cidade; e novas atuações de sujeitos na segurança pública e na justiça.

O evento acontece no Auditório do Instituto Biomédico da UFF, das 18:30h às 22:00h.

Organização:
Klarissa Platero
Izabel Nuñez

Ana Clara Borges
Daniel Brasil
Érica Pessoa
Fabian Gomes
Fernanda Ribeiro
Julia Bittencourt
Kely Castrioto
Laryssa Gabrig
Lucas Lopes
Paula Carvalho
Thayna Bastos
Vanusia Drumond

 

 

 

 

 

 

Quarta, 22 Maio 2019 20:01

O QUE É JUSTIÇA ??

O Eixo de Segurança Pública e Acesso à Justiça da Redes promove, no próximo  dia 29 de maio, às 15h, no Prédio Central da Redes da Maré, no Rio de Janeiro, uma aula sobre "O que é Justiça", com a participação da antropóloga e pesquisadora do INCT-InEAC Katia Melo (UFRJ) e Maria Julia (Defensoria Pública). 

No próximo dia 5 de junho no Auditório da Escola de Serviço Social da UFRJ, vai ser discutido o tema "Política de Drogas e Encarceramento em Massa" .

A política de drogas se configura hoje no Brasil como uma das principais justificativas para o encarceramento de pessoas. Buscando entender um pouco mais sobre tal política e seus efeitos em relação ao encarceramento em massa, que coloca o Brasil como o terceiro país na lista do ranking internacional do encarceramento, convidamos especialistas no tema para compartilhar suas análises acerca da política de drogas brasileira, dos seus efeitos no cárcere e em relação ao absurdo incremento no encarceramento de mulheres negras nos últimos anos.

Foram convidados para comporem a mesa do evento: 
Caroline Bispo: Advogada da Associação Elas Existem e da ONG Redes da Maré
Marcelo da Silveira Campos: Professor da UFGD e pesquisador associado do INEAC/UFF
Patrícia Oliveira: Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura

Mediadora:
Katia Sento-Sé Mello: GPSEM/PPGSS/UFRJ e pesquisadora associada do INEAC/UFF

Organização:
Lidiane Malanquini (GPSEM/PPGSS/UFRJ)
Monique Cruz (GPSEM/PPGSS/UFRJ)

 

Quarta-feira, 5 de junho de 2019 de 18:30 a 22:00
Escola de Serviço Social - ESS - UFRJ - Av. Pasteur, 250, Praia Vermelha, 22290-240 Rio de Janeiro
 

Acontece na Universidade Tiradentes, nos dias 20 e 21 de maio de 2019, em Aracaju-Sergipe, o 1ST INTERNATIONAL RESEARCH GROUPS MEETING ON HUMAN RIGHTS AND LEGAL ANTHROPOLOGY – InterDH&A, que contará com a participação de vários pesquisadores do INCT-InEAC.   O evento é  resultado da interlocução entre pesquisadoras e pesquisadores do Instituto de Tecnologia e Pesquisa – ITP, do Programa de Pós-graduação em Direitos Humanos da Universidade Tiradentes – PPGD/UNIT, do Programa de Pós-graduação em Antropologia da Universidade Federal Fluminense – PPGA/UFF e do Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos – Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia – INCT/InEAC, que pensaram na construção de um evento direcionado à comunidade científica internacional, especialmente a pesquisadoras e pesquisadores que desenvolvam investigações em antropologia jurídica e que discutam os processos de construção e reconstrução dos direitos humanos, mas, também a órgãos governamentais, instituições e organizações sociais, órgãos do sistema de justiça, professores, estudantes e militantes sociais. A realização do InterDH&A se justifica, primeiramente, em função da atual crise político-institucional pela qual o Brasil e o mundo, especialmente o periférico, estão passando, que tem impactado inclusive na produção de ciência e posto em risco os destinos da pesquisa nesses países. Pretende-se, assim, contribuir cientificamente trazendo nele um olhar reflexivo, mas também crítico e engajando com o senso de cidadania e responsabilidade social, de luta por mais direitos humanos e sociais a partir da própria academia. O InterDH&A se apresenta, assim, como uma oportunidade de refletirmos sobre os caminhos trilhados pela pesquisa sobre estes temas no mundo, como ela precisa estar conectada com o desenvolvimento humano e como deve colaborar com a emancipação dos sujeitos coletivos. Trata-se de uma oportunidade de conhecermos as experiências sobre os temas do evento e debatermos o pensamento que os fundamenta e como podemos, com esses pensamentos e essas experiências, práticas e teóricas, recriar as possibilidades de emancipação social e de construção de uma sociedade internacional mais justa em todos os aspectos.

Confira abaixo a programação completa do evento:

Segue aberto, até o dia 6 de junho de 2019,  o prazo para a submissão de propostas de trabalhos aos GTs do VI ENADIR - ENCONTRO NACIONAL DE ANTROPOLOGIA DO DIREITO, que acontecerá entre 26 e 29 de agosto  na FFLCH-USP - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.

 

Izabel Nuñez (UFF/INCT-InEAC) coordena junto com Bruna Angotti (USP) o GT02: As Práticas e as representações acionadas em audiências e atos judiciais no sistema de justiça:

O presente grupo de trabalho pretende reunir pesquisas que busquem analisar as práticas e as representações dos agentes do “sistema de justiça”, entendido como o conjunto de instituições estatais encarregadas de aplicar a lei e administrar conflitos. Esperamos receber propostas de pesquisadores que se debrucem sobre o seu funcionamento, especialmente com foco nas interações em audiências e atos judiciais, nas moralidades envolvidas, bem como em pesquisas que aportem novas reflexões metodológicas, descrições empíricas a análises teóricas inovadoras sobre este campo. Serão aceitos trabalhos por meio dos quais seja possível apreender os diversos elementos e sentidos do fazer justiçae do fazer judicial e policialatribuídos pelos próprios agentes imbricados nesses “fazeres” e afetados, em interação, pelas “partes”. Trabalhos frutos de etnografias serão priorizados, pensando na intersecção entre métodos, técnicas e a teoria antropológica para a compreensão do fenômeno jurídico.

O VI ENADIR, no que se refere diretamente aos programas de pós-graduação, tem por principal finalidade contribuir para uma articulação mais permanente e sistemática entre antropólogos(as) do direito no Brasil, bem como entre esses(as) e seus/suas colaboradores(as) estrangeiros(as).

O VI ENADIR, pretende incentivar que pós-graduandos(as) cursem disciplinas fora de seus programas de origem e que tal intercâmbio, além de repercussões pontuais já existentes, produza repercussões duradouras, tornando frequentes as colaborações em bancas e a formulação de projetos conjuntos de pesquisa.

 

FINALIDADES DO EVENTO

A finalidade maior do VI ENADIR é produzir resultados qualitativamente significativos no interior da antropologia do direito, daí a previsão de um minicurso, conferências e mesas não simultâneos para que todos(as) possam acompanhá-los e neles se encontrar.

"O que podemos aprender com os terraplanistas? Das Fake News às Fake Sciences da era digital" esse é o tema da edição do PINT OF SCIENCE do próximo dia 22 de maio, que acontecerá à partir das 19h, no bar Tio Cotó, em São Domingos, Niterói e que terá como protagonista a professora Thaiane Oliveira.

Convencer as pessoas de que a Terra é plana, por mais descabida a ideia que possa parecer, se tornou uma das grandes preocupações dos cientistas de hoje. Campanhas anti-vacina, revisão da História, da Geografia, são fenômenos que dizem respeito a uma disputa sobre a informação científica, mas que não se limitam apenas aos muros da universidade. A desinformação sobre a ciência vai muito além de uma dificuldade dos cientistas em se comunicar. É um campo de disputa complexo que não podemos ignorar - e se olharmos bem a fundo, pode nos dizer muita coisa sobre a crise "da verdade" que vivemos hoje.
Pesquisadora também vinculada ao INCT/InEAC, Thaiane Oliveira é Doutora em Comunicação Social e professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense. Coordenadora do Fórum de Periódicos e Comunicação Científica, da Pró-reitoria de Pesquisa e Inovação, da Universidade Federal Fluminense (FOCO-Proppi/UFF). Coordenadora do Grupo Multidisciplinar de Pesquisa Laboratório de Investigação em Ciência, Inovação, Tecnologia e Educação, que abriga o "Núcleo de Estudos Estratégicos de Circulação e Políticas Científicas" e o Laboratório em Experi) .
 
Das 19:00 às 21:30. Entrada gratuita.
Tio Cotó , R. Alexandre Moura, 3 - São Domingos, Niterói , 
Niterói 24210-200
Página 1 de 52