enfrdeites
Segunda, 01 Abril 2019 12:25

Sem lei que cite quantidades, polícia dá destinos diversos a flagrados com droga

Escrito por

O site do INCT INEAC reproduz aqui o link da matéria do último dia 30 de março de 2019, escrita por Marco Antonio Carvalho / Dados: Cecília do Lago (com base em estudo da ABJ), publicada no ESTADÃO e intitulada: "Sem lei que cite quantidades, polícia dá destinos diversos a flagrados com droga" .

A matéria traz a participação do pesquisador Marcelo da Silveira Campos, pós-doutorando do Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos (INCT-InEAC), que já havia encontrado esse padrão quando realizou a pesquisa para a sua tese de doutorado defendida na USP sobre a lei 11.343 de 2006. Ele reuniu casos de duas delegacias da cidade de São Paulo: Itaquera, na zona leste, e Santa Cecília, no centro da capital paulista: Segundo Marcelo Campos: “as chances de alguém ser incriminado por tráfico de drogas é 3,6 vezes maior quando o acusado é analfabeto ou possui ensino fundamental em relação às pessoas que possuem ensino superior”. O ano, o gênero (maior risco para mulheres), e o local (maior risco para Itaquera na comparação com Santa Cecília) também foram apresentados como determinantes para os registros nas delegacias."

Para ler a matéria acesse o link abaixo:

https://www.estadao.com.br/infograficos/cidades,sem-lei-que-cite-quantidades-policia-da-destinos-diversos-a-flagrados-com-droga,977293

 

 

 

Ler 577 vezes Última modificação em Sexta, 05 Abril 2019 12:15

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.