enfrdeites
Notícias

Notícias (941)

Pesquisadores do INCT INEAC estiveram no nessa terça-feira,  dia 12 de dezembro participando da XXI Jornada de Jovens Talentos, organizada pela FAPERJ, destinada a apresentação dos projetos desenvolvidos pelos projetos de bolsa pré-iniciação científica (destinadas a estudantes do Ensino Médio). O INCT-InEAC esteve presente com os laboratórios de pesquisa vinculados à “Feira de Ciências Simoni Lahud Guedes”. Na foto estão os orientadores do Laboratório de Pesquisa e Iniciação Científica no Ensino Médio (LEPIC), Observatório Anti Racista, Laboratório de Pesquisa Marginal do Joaquim (LAPEMJO), Laboratório de Vivências Interdisciplinares da Antropologia (VidA). Da esquerda para direita: Klever Leal Filipo (UCP - InEAC); Alexandre Magno (SEEDUC-RJ- InEAC); Gabriela Cuervo (SEEDUC-RJ- InEAC); Talitha Mirian do Amaral Rocha ((SEEDUC-RJ - InEAC)); Alice Guimarães (LEPIC - InEAC); Yuri Motta (PPGSD - LEPIC- InEAC); Marcus Veríssimo (SEEDUC-RJ - InEAC).

O antropólogo Felipe Berocan Veiga, professor e coordenador do PPGA-UFF, lançará o livro “Baile de Gafieira: uma instituição urbana nos quadros da memória carioca”, publicado pela Eduff, uma etnografia minuciosa da dança social em seu ambiente que “exige respeito” e dos impactos das transformações urbanas recentes do Centro do Rio de Janeiro. O livro terá seu lançamento nessa quarta-feira, dia 13/Dez/2023, às 17 horas, na Livraria Folha Seca, Rua do Ouvidor, 37 - Centro, um dos espaços culturais mais animados da cidade. O lançamento contará com show-baile de Daniela Speilmann (sax e flauta), Alana Moraes (voz), Sheila Zagury (teclado) e Clarice Magalhães (pandeiro).

Os pesquisadores do Núcleo de Estudos do Oriente Médio (NEOM/UFF) vêm expressar a sua preocupação e o seu repúdio ao presente ataque militar israelense contra Gaza, tendo em vista o enorme número de mortos e a amplitude da destruição da infraestrutura civil. A atual escalada militar iniciou-se após os ataques do Hamas contra Israel em 07 de outubro de 2023, levando à morte de, pelo menos, 1.200 israelenses e o sequestro de outros 240. A resposta militar que se seguiu é claramente desproporcional e direcionada tanto contra a população civil palestina quanto aos militantes do Hamas, tendo já causado mais de 11 mil mortes, dentre as quais mais de 4 mil crianças. Os bombardeios incessantes de Gaza por parte de Israel levaram ao deslocamento forçado de mais da metade da população para o sul do território, o qual também está sobre ataques militares. Os bombardeios generalizados, somados ao fechamento das fronteiras do território, fazem com que a população não tenha como se abrigar da violência. O bloqueio israelense de Gaza impede que grande parte dessas pessoas tenha acesso à água potável e comida, além de medicamentos e combustível. Residências são destruídas em larga escala, o que inevitavelmente fará com que os sobreviventes fiquem desabrigados. Hospitais e clínicas são tratados pelo exército israelense como alvos militares e são frequentemente atacados, constituindo crime de guerra. A vulnerabilidade dos mais de 2 milhões de habitantes de Gaza diante da alta letalidade das ações militares israelenses nos leva a concluir que a inação da comunidade internacional permitirá que este massacre atinja proporções inauditas. Tal vulnerabilidade se estende aos palestinos da Cisjordânia, os quais também têm sido alvo de uma intensificação da violência por parte dos colonos e exército israelenses, resultando na expulsão de comunidades rurais palestinas e na anexação de seus territórios aos assentamentos judaicos. Embora esses ataques do Hamas e as ações militares israelenses se mostrem sem precedentes nas suas proporções mortíferas, produzindo milhares de vítimas civis e destruição generalizada, estes se inscrevem em uma longa história de despossessão, ocupação e dominação colonial da população palestina por parte de Israel. A fundação do Estado de Israel em 1948 resultou em uma guerra por meio da qual 70% da população palestina foi expulsa de suas casas ou impedida de retornar para elas, significando uma limpeza étnica denominada pelos palestinos como Nakba (Catástrofe). Cisjordânia e Gaza estão sob controle militar israelense desde 1967, sendo alvos de um projeto de colonização judaica cujo objetivo é anexar mais territórios a Israel. Embora os assentamentos israelenses tenham sido removidos de Gaza em 2005, o território permanece sob controle absoluto de Israel e sofre um severo bloqueio econômico, bem como inúmeros ataques militares desde 2007, sendo considerado pela ONU como território ocupado por Israel. Os refugiados palestinos dispersos por vários países desde a Nakba seguem sem nenhuma solução política para seu exílio, o qual dura mais de sete décadas. Os Acordos de Oslo assinados entre Israel e a Organização pela Libertação da Palestina (OLP) em 1993, com o objetivo de criar um Estado palestino independente na Cisjordânia e em Gaza, não produziram os efeitos políticos prometidos. Com o avanço da colonização israelense, apesar da continuidade das negociações previstas pelos Acordos de Oslo, a população palestina se viu gradualmente confinada a territórios exíguos e economicamente inviáveis sob a administração da Autoridade Nacional Palestina, enquanto o restante do território e os recursos naturais da Palestina eram confiscados pelo Estado israelense para a construção de assentamentos judaicos. Atualmente existem cerca de 700 mil colonos judeus em assentamentos na Cisjordânia e Jerusalém Oriental, o que inviabiliza a “solução de dois Estados”, Israel e um Estado independente da Palestina, fazendo com que as declarações nesse sentido sejam um exercício retórico destinado a encobrir o avanço da colonização israelense. Essa situação, aliada ao crescente corpo de leis discriminatórias contra os palestinos tanto em Israel quanto nos territórios ocupados, levou organismos internacionais, tais como Human Rights Watch e Amnesty International, a declararem, em 2022, que Israel pratica os crimes de apartheid, perseguição e discriminação sistemática contra os palestinos1 . Assim, expressamos nossa solidariedade a todas as vítimas civis da violência, palestinas e israelenses, e a seus familiares. Reiteramos que a única solução possível para esse ciclo de violência é o cessar-fogo imediato. Consideramos urgente uma medida diplomática que inclua a libertação dos reféns e o fim da ocupação colonial e do sistema de apartheid que governa os territórios e populações palestinas de Gaza e Cisjordânia. Niterói, 13 de novembro de 2023.

 

Paulo Gabriel Hilu da Rocha Pinto (Coordenador - NEOM/UFF) Gisele Fonseca Chagas (Vice-Coordenadora – NEOM/UFF) 1 https://www.amnesty.org/en/location/middle-east-and-north-africa/israel-and-occupied-palestinianterritories/report-israel-and-occupied-palestinian-territories/ https://www.hrw.org/report/2021/04/27/threshold-crossed/israeli-authorities-and-crimes-apartheidand-persecution

 

A EBC - Empresa Brasil de Comunicação entrevistou o antropólogo Roberto Kant de Lima que falou sobre o X SEMINÁRIO INTERNACIONAL DO INCT INEAC e sobre as pesquisa desenvolvidas pelos pesquisadores da rede.

 

Professor fala sobre ciclo de debates abordando desigualdades

O antropólogo Roberto Kant de Lima defende que a sociedade brasileira tende a transformar diferenças em desigualdades

A Universidade Federal Fluminense (UFF) promove seminário para discutir desigualdades jurídicas, econômicas e sociais. Para entender melhor a proposta do evento o Revista Rio conversou com o professor Roberto Kant de Lima, antropólogo, professor emérito da UFF e coordenador do Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos (INCT-InEAC).

Confira a matéria no site da EBC -

https://audios.ebc.com.br/2d/2d0e38dbe71a14b3d8a8d168392b0bbc.mp3

 

Nessa quinta-feira, dia 23 de novembro de 2023, terá início a 10ª edição do Seminário Internacional promovido pelo Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos (INCT-InEAC), rede internacional de pesquisa com sede na Universidade Federal Fluminense e que agrega instituições, grupos de pesquisa e programas de pós-graduação de sete estados brasileiros (RJ, MG, SP, RR, RS, SC e MS) e do Distrito Federal, e de outros oito países além do Brasil (Canadá, Argentina, França, Estados Unidos e Portugal, Suíça, Peru e México).

O evento começará com a Mesa Institucional de Abertura, transmitida online a partir das 9h pelo canal do YouTube do InEAC: https://www.youtube.com/watch?v=fWKLkUTEqVA

A Mesa de Abertura contará com a participação de importantes nomes da ciências brasileiras, incluindo Paulo Gabriel Hilu da Rocha Pinto (Vice-Coordenador do INCT-InEAC/PPGA/NEOM-UFF), Lenin dos Santos Pires (Diretor IAC/UFF), Fábio Passos (Vice-reitor UFF) e Monica Maria Savedra (Pró Reitora PROPPI). A mediação ficará a cargo da antropóloga Paloma Monteiro (INCT-InEAC/UFF).

Após a abertura, terão início as reuniões dos Grupos de Trabalho (GT), programadas das 10h às 13h e das 14h às 17h. As atividades seguirão na sexta-feira, dia 24, nos mesmos horários.

Com o tema "Políticas Públicas em Perspectiva – a desigualdade como estruturante", o seminário ocorrerá de forma online nos dias 23 e 24 de novembro, sendo presencial entre 28 de novembro e 1º de dezembro, com realização no IAC - Instituto de Administração de Conflitos da UFF - Endereço: Outeiro de São João Batista, S/N, Campus do Valonguinho. Centro. Niterói - RJ. 24020-141.

A programação completa está disponível no site do evento. https://xseminarioinctineac.com/

Não deixe de acompanhar e participar desse importante fórum de discussão.

 

O LEMI - Laboratório Estúdio Multimídia do INCT INEAC transmitirá o evento pelo canal do INCT INEAC no youtube.

 

Segue abaixo os links para assistir ao X SEMINÁRIO INTERNACIONAL DO INCT INEAC

 

Mesa Institucional de Abertura 23/11/23

com Paulo Gabriel Hilu da Rocha Pinto (Vice-Coordenador do INCT-InEAC/PPGA/NEOM-UFF), Lenin dos Santos Pires (Diretor IAC/UFF), Fábio Passos (Vice-reitor UFF) e Monica Maria Savedra (Pró Reitora PROPPI).

A mediação ficará a cargo da antropóloga Paloma Monteiro (INCT-InEAC/UFF).

Horário – 9h

https://www.youtube.com/watch?v=fWKLkUTEqVA (Com transmissão em Libras) 

 

  • Terça-feira (28/11) - PRESENCIAL COM TRANSMISSÃO + LIBRAS


10h às 13h – Mesa 1:

Mesa comemorativa do aniversário de 10 anos de criação do curso de tecnólogo e 11 anos do curso de bacharelado em Segurança Pública e Social da UFF
Palestrantes: Roberto Kant de Lima (UFF); Leonardo dos Santos Ramos (PMRJ); Lenin dos Santos Pires (UFF); Pedro Heitor Barros Geraldo (UFF) e Mariana Rodriguez (SESEG).

https://www.youtube.com/watch?v=JC7d16avhb4

 

14h às 16h – Cine InEAC: “Marronage encontra Teatro do Oprimido”
Exibição do filme TEATRO MARRONAGE + Mesa com realizadores
Palestrantes: Mirian Alves de Souza (UFF); Claudio Salles (LEMI - InEAC/UFF); BenVindo Manima (PPGJS – UFF); Nianga Nicolina Lucau (PPGJS – UFF); Mediador: Antonio Claudio Ribeiro da Costa (PPGJS - UFF)).

https://www.youtube.com/watch?v=Wmp9CSnUXx0

 

16h30 às 18h - Conferência Internacional I:
Alain Battegay (Université Lumière, Lyon II), com o título "Egalité/inégalité dans les politiques de la ville en France: entre principe de légitimité et épreuves de mise en œuvre (effectivité, crédibilité, altérité)”.

Debatedor: Fabio Reis Mota (UFF). 

Mediadora - Yolanda Gaffrée Ribeiro (INCT/INEAC)

https://www.youtube.com/watch?v=ofVbPZsy5Fg

 

 

  • Quarta-feira (29/11) - PRESENCIAL COM TRANSMISSÃO + LIBRAS


10h às 13h - Mesa 2:
Desigualdade como estruturante: conflitos socioambientais e racismo

Palestrantes: Antonio Carlos de Souza Lima (Musel Nacional/UFRJ); Ronaldo Joaquim da Silveira Lobão (UFF); Lenin Pires (UFF).

https://www.youtube.com/watch?v=FSdioLnwKCY

 

14h às 17h – Mesa 3:
Desigualdade no sistema de justiça e segurança pública
Palestrantes: Karolynne Gorito de Oliveira (INCT-InEAC); Rafael Iorio (UVA); Marcus Vinícius Gonçalves da Cruz (FJP - MG).

https://www.youtube.com/watch?v=IM1p17ZVAV8

 

17h às 20h - Mesa Guerra em Gaza:
Violência, Geopolítica e o Paroxismo do Colonialismo Israelense na Palestina
Palestrantes: Paulo Gabriel Hilu da Rocha Pinto (PPGA/NEOM-UFF); Gisele Chagas (PPGA/NEOM-UFF); Leonardo Schiocchet (Austrian Academy of Sciences/Universidade de Viena (via zoom); Daniele Abilas (NEOM-UFF).

https://www.youtube.com/watch?v=yGBW7JP4HZA

 

 

  • Quinta-feira (30/11) - PRESENCIAL COM TRANSMISSÃO + LIBRAS


10h às 13h – Mesa 4:
Conflitos sociais e mundo digital
Palestrantes: Laura Graziela Gomes (UFF); Simone Evangelista (UERJ); Luis Nassif (Jornal GGN); Martin Soares (Lyon 2); Mediadora: Thaiane Moreira (UFF - ABC).

https://www.youtube.com/watch?v=ilvlzDVEC3Q

 

14h às 16h – Roda de Conversa com os alunos do ensino médio da rede pública do Estado do RJ:
Estudantes participantes do projeto Feira de Ciências – Conflitos e Diálogos na Escola; Jorge Paes (SEEDUC-RJ) e Lumárya Sousa (INCT-InEAC/ Ministério das Comunicações).

https://www.youtube.com/watch?v=JFjiOnCUEM0

 

16h às 18h – Lançamento de Livros e Coletâneas

18h30 – Coquetel do Lançamento de Livros

https://www.youtube.com/watch?v=NLFCaGnzbe8


Apresentação ao vivo da Orquestra de Ukeleles da UFRJ

https://www.youtube.com/watch?v=6En9QuDul50

 

 

  • Sexta-feira (1º/12) - PRESENCIAL COM TRANSMISSÃO + LIBRAS


10h às 12h – Conferência Internacional II:

Marie-Hélène Sa Vilas Boas (Université Côte d’Azur), com o título: “Brasil, um extremo Ocidente. O projeto bolsonarista numa perspectiva histórica”. Debatedor: Fabio Reis Mota.

https://www.youtube.com/watch?v=vL89MSOlf7E

 

14h às 18h – Mesa de Encerramento:
Homenagem póstuma a Pedro Paulo Thiago de Mello + Cine InEAC
Exibição do doc "Botequim do Joia: afetos e resistências", de autoria de Kátia Sé Mello, com participação de Marco Antonio da Silva Mello (LeMetro/UFRJ); Felipe Berocan (UFF); Kátia Sé Mello (UFF); Soraya Simões (UFRJ).

https://www.youtube.com/watch?v=KbiD_98LdlE

 

 

Serviço:

X Seminário Internacional do INCT-InEAC 

Onde: Auditório do Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos (IAC), campus do Valonguinho da Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, no Rio de Janeiro.


Quando: 23/11 a 24/11 (online) e 28/11 a 1º/12 (presencial)


Mais informações no site do evento: https://xseminarioinctineac.com/

 

 

 

 

 

Terça, 14 Novembro 2023 11:53

ETNOGRAFIA DE CONFLITOS E MOBILIZAÇÕES

A antropóloga Ana Paula Mendes de Miranda (UFF) , pesquisadora vinculada ao INCT INEAC está na Argentina participando de atividades acadêmicas na UBA - Universidade de Buenos Aires. Nessa terça-feira, 14 de novembro de 2023, ela estará se apresentando no "Encuetro de trabajo: ETNOGRAFIA DE CONFLITOS E MOBILIZAÇÕES",  na Facultad de filosofia y letras . 

Outras informações confira abaixo no cartaz do evento.

 

Página 8 de 157